terça-feira, 4 de julho de 2017

SÉRIE 1 PEDRO: 2 – SALVAÇÃO – ALEGRIA EM MEIO ÀS TRIBULAÇÕES




2 – SALVAÇÃO – ALEGRIA EM MEIO ÀS TRIBULAÇÕES
(22-02-2017)
Introdução: Dando continuidade à nossa série, vamos estudar mais uma parte preciosa dessa carta do apóstolo Pedro onde ele nos apresenta as razões para continuarmos resistindo às provações e tribulações, tendo em nossa mente a recompensa da salvação.

Texto Bíblico: 1 Pedro 1:4-12
4 para uma herança que jamais poderá perecer, macular-se ou perder o seu valor. Herança guardada nos céus para vocês
5 que, mediante a fé, são protegidos pelo poder de Deus até chegar a salvação prestes a ser revelada no último tempo.
6 Nisso vocês exultam, ainda que agora, por um pouco de tempo, devam ser entristecidos por todo tipo de provação.
7 Assim acontece para que fique comprovado que a fé que vocês têm, muito mais valiosa do que o ouro que perece, mesmo que refinado pelo fogo, é genuína e resultará em louvor, glória e honra, quando Jesus Cristo for revelado.
8 Mesmo não o tendo visto, vocês o amam; e apesar de não o verem agora, crêem nele e exultam com alegria indizível e gloriosa,
9 pois vocês estão alcançando o alvo da sua fé, a salvação das suas almas.
10 Foi a respeito dessa salvação que os profetas que falaram da graça destinada a vocês investigaram e examinaram,
11 procurando saber o tempo e as circunstâncias para os quais apontava o Espírito de Cristo que neles estava, quando lhes predisse os sofrimentos de Cristo e as glórias que se seguiriam àqueles sofrimentos.
12 A eles foi revelado que estavam ministrando, não para si próprios, mas para vocês, quando falaram das coisas que agora lhes foram anunciadas por meio daqueles que lhes pregaram o evangelho pelo Espírito Santo enviado do céu; coisas que até os anjos anseiam observar.

1 - A RECOMPENSA DA SALVAÇÃO

“Para uma herança que jamais poderá perecer, macular-se ou perder o seu valor. Herança guardada nos céus para vocês” (1 Pedro 1.4)
A salvação planejada na eternidade e realizada no tempo aponta para uma recompensa futura. Pedro escreve: para uma herança incorruptível sem mácula, imarcescível, reservada nos céus para vós outros (1.4). Os eleitos de Deus, remidos pelo sangue, santificados pelo Espírito e regenerados para uma viva esperança, têm a promessa de uma herança gloriosa. Quais são as características dessa herança que está reservada nos céus para os salvos?


1 - É UMA HERANÇA INCORRUPTÍVEL. A palavra grega aphtharton (αφθαρτον), traduzida por “incorruptível”, significa algo que não perece, não apodrece, não se deteriora. Roy Nicholson explica que aftharton pressupõe a ideia de não conter sementes de deterioração.61 William Barclay acrescenta que essa palavra significava “não assolada por nenhum exército inimigo”.

2 - É UMA HERANÇA IMACULADA. A palavra grega amiantos (αμιαντον), traduzida por “sem mácula”, significa algo absolutamente limpo, sem nenhum tipo de sujeira ou de contaminação que possa levar a uma posterior degeneração.

3 - É UMA HERANÇA IMARCESCÍVEL. A palavra grega amarantos (αμαραντον), traduzida por “imarcescível”, significa inalterável. E mais aplicada a coisas da natureza, representando na poesia “uma flor que nunca murcha nem perde a sua beleza”. Em vez de murchar, ela permanece num frescor perpétuo, que nunca se deteriora quanto ao seu valor, graça e beleza. 

2 - A SEGURANÇA DA SALVAÇÃO

“que, mediante a fé, são protegidos pelo poder de Deus até chegar a salvação prestes a ser revelada no último tempo.” (1 Pedro 1.5)
Como podemos saber que a salvação planejada na eternidade e executada no tempo não se perderá? Como ter certeza de que a salvação planejada pelo Deus Pai,executada pelo Deus Filho e aplicada pelo Deus Espírito Santo é segura? Que garantia temos de que aqueles que foram salvos permanecerão salvos para sempre? Qual é o alicerce da nossa certeza? O apóstolo Pedro nos dá a resposta com diáfana clareza. Destacamos três pontos importantes nesse sentido.

1 - A SEGURANÇA DE NOSSA SALVAÇÃO É GARANTIDA PELO PRÓPRIO DEUS. Que sois guardados pelo poder de Deus... (1.5). A palavra que Pedro usa em grego é phrouroumenous (φρουρουμενους), um termo militar. Significa que a nossa vida está guarnecida por Deus, que atua como sentinela de todos os nossos dias. A segurança da salvação não está em nossas frágeis mãos, mas repousa sobre o poder de Deus. O mesmo Deus que nos salva também nos garante a segurança da salvação. Nada nem ninguém nos podem arrancar dos braços de Jesus. Nenhum poder no céu ou na terra nos pode afastar do amor de Deus que está em Cristo Jesus. Uma vez salvos, salvos sempre!

2 - A SEGURANÇA DE NOSSA SALVAÇÃO É APROPRIADA PELA FÉ. ... mediante a fé (1.5). A fé não é a causa meritória da nossa salvação, mas a causa instrumental. Apropriamo-nos da salvação pela graça mediante a fé. A fé é a mão que se estende para receber o presente da salvação.

3 - A CONSUMAÇÃO DA SALVAÇÃO SE DARÁ NA SEGUNDA VINDA DE CRISTO.
... para a salvação preparada para revelar-se no último tempo (1.5). Nossa salvação foi preparada para nós por Cristo por meio de sua obra expiatória. Ela será revelada de uma só vez no tempo de Deus. Todos verão a herança, mas apenas o cristão poderá possuí-la. O verbo “revelar”, usado aqui, significa “tirar o véu ou cobertura”. Jesus tirará o véu quando voltar para nos dar salvação gratuita e plena.
Podemos afirmar à luz das Escrituras que já fomos salvos, estamos sendo salvos e seremos salvos. Com respeito à justificação, já fomos salvos. Com respeito à santificação, estamos sendo salvos. Com respeito à glorificação, seremos salvos. Fomos salvos da condenação do pecado na justificação. Estamos sendo salvos do poder do pecado na santificação. E seremos salvos da presença do pecado na glorificação. Agora temos o selo do Espírito, o penhor do Espírito, como garantia de que aquele que começou a fazer a boa obra em nós há de completá-la até o dia final. “Tempo” aqui é kairós, aquele que não é determinado cronologicamente. “No último tempo” denota aqui não o “tempo do fim”, no sentido neotestamentário de todo o período que vai da primeira até a segunda vinda de Cristo, mas especificamente o período final dessa época, o “fim do fim”.

3 – AS PROVAÇÕES PRECEDEM A SALVAÇÃO 

“Nisso vocês exultam, ainda que agora, por um pouco de tempo, devam ser entristecidos por todo tipo de provação. Assim acontece para que fique comprovado que a fé que vocês têm, muito mais valiosa do que o ouro que perece, mesmo que refinado pelo fogo, é genuína e resultará em louvor, glória e honra, quando Jesus Cristo for revelado.” (1 Pedro 1.6-7)

Vimos até aqui que, no passado, Deus ressuscitou Cristo e regenerou os seus eleitos; coloca diante deles um futuro aberto e glorioso; e, no presente, os guarda, mediante a fé que eles têm nele. Vejamos agora a alegria resultante dessa salvação.
Embora nossa salvação venha a ser consumada apenas na segunda vinda de Cristo, já começamos a desfrutar de sua alegria aqui e agora. Os sofrimentos desta vida não conseguem empalidecer as glórias benditas da nossa salvação. A cruz precede a coroa; o sofrimento é o prelúdio da glória. Antes de pisarmos as ruas de ouro da Nova Jerusalém, caminharemos por estradas juncadas de espinhos. Pedro menciona vários fatos acerca das provações que enfrentamos nesta vida, preparando-nos para a glória.

1- AS PROVAÇÕES SÃO PEDAGÓGICAS. Nisso exultais, embora, no presente, por breve tempo, se necessário, sejais contristados por várias provações (1.6). A expressão “se necessário” indica que há ocasiões especiais em que Deus sabe que precisamos passar por provações para nossa disciplina (SI 119.67) e nosso crescimento espiritual (2Co 12.1-9).

2 - AS PROVAÇÕES SÃO VARIADAS. ...por várias provações (1.6). A palavra grega poikilos, (ποικιλοις) traduzida por “várias”, significa “de diversas cores” ou “policromáticas”. A mesma palavra é usada para descrever a graça de Deus (4.10). Warren Wiersbe acertadamente diz que, não importa a “cor” de nosso dia — seja cinzento ou negro —, Deus tem graça suficiente para suprir nossas necessidades. William Barclay, nessa mesma linha de pensamento, escreve: Nossos problemas e contratempos podem ser multicoloridos, mas também o é a graça de Deus. Não há cor na situação humana que a graça de Deus não seja capaz de enfrentar. Não importa o que nos esteja fazendo a vida, na graça de Deus encontramos forças para enfrentar essa situação e vencê-la. Há uma graça para enfrentar cada prova, e não há prova que não tenha a sua graça.

3 - AS PROVAÇÕES SÃO DOLOROSAS. ... sejais contristados... (1.6). A ideia subjacente é de dor ou tristeza profunda. A mesma palavra é usada para descrever a experiência de Jesus no Getsêmani (Mt 26.37) e a tristeza dos santos com a morte de um ente querido (lTs 4.13).71

4 - AS PROVAÇÕES SÃO PASSAGEIRAS. ...por breve tempo... (1.6). Deus não permite que as provações durem para sempre. Warren Wiersbe diz que, quando Deus permite que seus filhos passem pela fornalha, mantém os olhos no relógio e a mão no termostato.

5 - AS PROVAÇÕES SÃO PROVEITOSAS. Para que, uma vez confirmado o valor da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro perecível, mesmo apurado por fogo, redunde em louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo (1.7). Pedro ilustra esta verdade referindo-se ao ourives. O ourives coloca o metal no cadinho o tempo necessário para remover as impurezas sem valor; em seguida, o derrama no molde e forma uma bela peça de valor. Para saber se o ouro é autêntico, o metal precisa ser derretido no fogo. Isso não é afeta o ouro em nada, mas todas as impurezas são expulsas no processo, e aquilo que é autêntico, que realmente tem valor, se destaca com pureza. Alguém disse que, no Oriente, o ourives deixava o metal derreter até ser capaz de ver seu rosto refletido nele. Da mesma forma, o Senhor nos mantém na fornalha do sofrimento até refletirmos a glória e a beleza de Jesus Cristo.
As provações enfrentadas hoje são um preparo para a glória futura. A glória da nossa salvação se tornará plena na segunda vinda de Jesus Cristo. Agora, a nossa fé é testada da mesma forma que o ouro é depurado, para que, na manifestação gloriosa de Cristo em sua segunda vinda, isso redunde em louvor, glória e honra ao Senhor. Concordo com Enio Mueller no sentido de que esta figura ilustra não só o propósito da provação, mas também a sua necessidade. O ouro, embora valiosíssimo, é também perecível. A fé provada, em comparação com ele, é muito mais preciosa. Depois de ambos passarem pelo processo de purificação, a diferença de valor é enorme. O ouro, além de não durar eternamente, sempre pode ser roubado ou perdido. A fé, por outro lado, garante o acesso a uma herança não sujeita às desgraças terrenas.

4 – O ALVO DA NOSSA FÉ – A SALVAÇÃO

“Mesmo não o tendo visto, vocês o amam; e apesar de não o verem agora, crêem nele e exultam com alegria indizível e gloriosa, pois vocês estão alcançando o alvo da sua fé, a salvação das suas almas. Foi a respeito dessa salvação que os profetas que falaram da graça destinada a vocês investigaram e examinaram” (1 Pedro 1.8-10)
As provações preparam para a glória futura, mas Jesus já concede glória no presente. De acordo com Warren Wiersbe, a vida crista não consiste somente na contemplação de um futuro distante. Antes, implica uma dinâmica presente que pode transformar o sofrimento em glória hoje. Pedro apresenta quatro instruções para se desfrutar a glória hoje, mesmo em meio às provações:

1. Amar a Cristo (1.8). Na fornalha da aflição, em meio ao fogaréu da prova, precisamos amar a Cristo, para que esse fogo nos purifique em vez de nos queimar.

2. Creiam em Cristo (1.8). O cristão é salvo pela fé, vive pela fé, vence pela fé e anda de fé em fé.

3. Alegrem-se em Cristo (1.8). O cristão não é masoquista nem estoico. Não se alegra por causa do sofrimento nem exulta por causa das provações, mas pelos seus benditos frutos. Essa alegria não pode ser traduzida em palavras, é indizível. Não é apenas terrena, é cheia de glória. Essa é a alegria dos tempos vindouros, que fez sua entrada no mundo para não mais dele sair, até que toda tristeza seja finalmente eliminada na vinda do Reino.76 Trata-se de uma alegria maiúscula, superlativa e celestial. A palavra descreve gritos de alegria que não podem ser contidos. E uma alegria mergulhada em glória!

4. Obtenham de Cristo (1.9). A salvação é uma dádiva de Cristo. Nós a recebemos pela graça, mediante a fé. Embora o seu desfrute pleno vá ocorrer apenas na glória, já tomamos posse aqui e agora. Embora sua consumação esteja destinada apenas para o tempo do fim, já usufruímos seus benefícios imediatamente.
A expressão “salvação da vossa alma” (v. 9) tem sido interpretada de forma equivocada por alguns estudiosos.

Concordo com Uwe Holmer quando ele diz que essa expressão foi emprestada apenas aparentemente da filosofia grega. Na realidade, corresponde à proclamação do Senhor, que proclamara em vista de perseguição e ameaça de morte: Não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma (Mt 10.28). Isso por um lado soa como antropologia grega, mas por outro condiz na realidade inteiramente com a visão bíblica que é fundamentalmente diversa da grega.

OUTRAS MENSAGENS DA SÉRIE:







Esta série de mensagens tem como principal fonte de pesquisa o Livro Comentário Expositivo de 1 Pedro de autoria do Rev. Hernandes Dias Lopes publicado pela editora Hagnos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...