terça-feira, 20 de dezembro de 2016

PASTORAL: AS FALSAS ESPERANÇAS E A VERDADEIRA ESPERANÇA



AS FALSAS ESPERANÇAS E A VERDADEIRA ESPERANÇA.
“Bem-aventurado aquele que tem o Deus de Jacó por seu auxílio, e cuja esperança está posta no Senhor seu Deus”.
(Salmos 146.5)
Existem muitas falsas esperanças. Porém, a verdadeira esperança está fundamentada em Deus. Por esta razão o Salmista declara: “Ó minha alma, espera silenciosa somente em Deus, porque dele vem a minha esperança; só ele é a minha salvação; é ele a minha fortaleza; não serei grandemente abalado” (Salmo 62:5-6).
A nossa esperança não é o ópio entorpecedor denunciado pelos marxistas, nem é também o que corresponde à idéia freudiana de fantasias que realizam desejos. A nossa esperança não está fundamentada em uma religião, em um processo de sucessivas reencarnações, em uma denominação, em um conjunto de crenças ou em um sistema filosófico.
A nossa esperança se fundamenta em Deus, em sua Palavra, em sua onisciência, em sua onipotência, em sua onipresença, em sua bondade, em sua justiça, em sua misericórdia, em seu amor. As falsas esperanças são inúmeras, mas a esperança verdadeira está alicerçada, fundamenta, depositada em Deus. Veja as principais diferenças entre: As Falsas Esperanças e a Verdadeira Esperança.
A Falsa – Produz visagens, A Verdadeira – Produz visão.
A Falsa – Alimenta ilusões, A Verdadeira – Alimenta realidades.
A Falsa  – Alicerça-se nas expectativas, A Verdadeira – Alicerça-se na fé.
A Falsa– Traz momentos de euforia, A Verdadeira – Traz genuína felicidade.
A Falsa  – Leva-nos a enxergar miragens, A Verdadeira – Leva-nos a enxergar verdades.
A Falsa– Infunde em nós crendices, A Verdadeira – Infunde em nós sabedoria.
A Falsa  – Desfaz-se rapidamente diante das circunstâncias adversas, A Verdadeira – Fortalece-se, ainda mais, diante das dificuldades.
A Falsa– Desvanece quando surgem as tempestades da vida, A Verdadeira – Serve de âncora nas horas de tempestades.
A Falsa – Torna-se ineficaz para vencer barreiras, A Verdadeira – Agiganta-se diante dos obstáculos.
A Falsa – Leva-nos a uma atitude de passividade e conformismo, A Verdadeira – Leva-nos a uma inconformação com as mesmices.
A Falsa– Enfraquece-se diante das batalhas da vida, A Verdadeira – Robustece-se diante tas lutas cotidianas.
A Falsa– Recua diante dos obstáculos encontrados no caminho, A Verdadeira – Avança com destemor para vencer as barreiras.
A Falsa– Deixa em nós sentimentos de frustrações e desilusões, A Verdadeira – Desafia-nos a uma constante luta pela excelência.

“Espere no Senhor. Seja forte! Coragem! Espere no Senhor”. (Salmos 27.14)

A verdadeira esperança só pode ser obtida pela fé em Deus, somente por relacionamento com Ele, somente se a buscarmos na fonte verdadeira que a santa Palavra de Deus. Amém


Pr. João Brito Costa Nogueira (IEBV)

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

PASTORAL: NOVAS DE GRANDE ALEGRIA


NOVAS DE GRANDE ALEGRIA
04/12/2016
“Mas o anjo lhes disse: "Não tenham medo. Estou lhes trazendo boas novas de grande alegria, que são para todo o povo: Hoje, na cidade de Davi, lhes nasceu o Salvador que é Cristo, o Senhor.”
(Lucas 2:10,11)

Entendemos que não foi por acaso que o anúncio do nascimento de Jesus tenha sido feito aos humildes pastores que estavam guardando os seus rebanhos nas noites gélidas de Jerusalém.
Os primeiros a receberem as boas novas não eram homens ociosos, desocupados, mas pastores que estavam vigilantes durante a noite cuidando das suas ovelhas. Da mesma forma, hoje, Deus tem comunicado primeiramente aos fieis pastores as boas novas de salvação, as quais são para todo o povo.
Lamentamos porém que, as boas novas de salvação, as notícias de que Deus se compadeceu da humanidade enviando a salvação por meio de seu único filho, infelizmente não tenha achado lugar em muitos corações.
O homem pós moderno está cada vez mais ávido pelas notícias trágicas, bizarras e bombásticas. A mídia, de um modo geral e em todos os seus seguimentos, já percebeu isso e alimenta ainda mais essa tendência dando todo destaque possível a todas as notícias ruins da cidade, do país e do mundo. As tragédias absorvem todas as atenções dos meios de comunicação.
No meio desse barulho todo, a palavra de Deus ainda tem uma palavra de esperança que precisa ser anunciada a todas as gerações. As boas novas de grande alegria precisam ser anunciadas pela Igreja de Cristo em todos os lugares, por todos os meios, a tempo e a fora de tempo.
Apesar de o nascimento de Jesus ter sido o acontecimento que dividiu a história em antes e depois de Cristo, ainda hoje há muitos que desconhecem os reais fatos dessa história, muitos que ignoram o motivo mais essencial do nascimento do Messias: a salvação de toda a humanidade da condenação do pecado.
Muitos estão procurando novidades, mas não as boas novas. Andam atrás de movimentos e modismos embalados por palavras de vitória, de auto-ajuda, de filosofias humanas, onde Deus se torna o servo e o indivíduo se comporta como deus.

As boas novas do nascimento de Jesus deveriam ser aceitas e encaradas como realmente são, da forma com que os anjos a anunciaram: De grande alegria.
A alegria indestrutível, eterna e inabalável não é alcançada ganhando presentes, nem por causa de uma mesa farta, nem pela presença de muitas pessoas em casa, mas pelo fato de Jesus nascer em nosso coração e de se tornar o Senhor das nossas vidas e por garantir os nossos nomes no livro da vida.
Que essa seja a nossa motivação, que esse seja o nosso alvo. Amém.

Pr. Dener Maia

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

DIA 17 - QUARTA CONDIÇÃO, FÉ, ORAÇÃO E JEJUM - 40 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO




 DIA 17 - QUARTA CONDIÇÃO, FÉ, ORAÇÃO E JEJUM

A Vida de Cristo é cheia de mistérios. Existem muitas coisas difíceis de entender no nosso relacionamento com Deus e na forma como Ele atua. Ao pensarmos em pedir a Ele que envie um avivamento espiritual, sempre teremos a seguinte dúvida: O avivamento virá porque estamos pedindo ou Deus é que tem determinado o tempo que irá acontecer. A esta altura não devemos entrar no mérito desta questão e simplesmente continuar pedindo a Deus que nos tire da situação de frieza espiritual e transforme nossas vidas, igrejas e nação enviando um poderoso avivamento.
Para isso precisamos de três ingredientes fundamentais:

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

DIA 16 - TERCEIRA CONDIÇÃO SANTIFICAÇÃO - 40 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO




DIA 16 - TERCEIRA CONDIÇÃO SANTIFICAÇÃO
Mas, assim como é santo aquele que os chamou, sejam santos vocês também em tudo o que fizerem, pois está escrito: "Sejam santos, porque eu sou santo". 
I Pedro 1.15-16
A ordem imperativa de Deus para seus filhos é "Sejam Santos". O propósito é que tenhamos o caráter de Deus: "porque eu sou Santo".
Santificação é um processo com a seguinte sequência: convicção, que é consciência do pecado; arrependimento que é a mudança de mente; confissão que é o acerto com Deus.
Este processo deve ser constante na vida do cristão. A Bíblia diz: Se afirmarmos que estamos sem pecado, enganamos a nós mesmos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça. I João 1.8-9 Cada vez que cometemos pecado, o Espírito Santo nos convence, nos arrependemos e confessamos. A palavra confessar traz a ideia de concordar e reconhecer que pecamos. Nosso Pai celestial é fel e Justo, e com base no que Cristo fez na cruz nos perdoa os pecados e nos purifica de toda injustiça. Que tremenda é a graça de Deus. Não temos que pagar nada, basta crer em Sua Palavra.
O desejo de Santificação é necessário para que Deus realize um avivamento espiritual. Quando Josué estava diante de uma situação difícil e o povo precisava do milagre para atravessar o Rio Jordão, disse ao povo: "Santifiquem-se, pois amanhã o SENHOR fará maravilhas entre vocês". Josué 3.5 Ele estava consciente que se o povo não estivesse

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

DIA 15 - SEGUNDA CONDIÇÃO: ARREPENDIMENTO - 40 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO


DIA 15 - SEGUNDA CONDIÇÃO: ARREPENDIMENTO
Eu lhes digo que, da mesma forma, haverá mais alegria no céu por um pecador que se arrepende do que por noventa e nove justos que não precisam arrepender-se. 
Lucas 15.7
Deve corrigir com mansidão os que se lhe opõem, na esperança de que Deus lhes conceda o arrependimento, levando-os ao conhecimento da verdade, para que assim voltem à sobriedade e escapem da armadilha do Diabo, que os aprisionou para fazerem a sua vontade. 
II Timóteo 2.25-26
Arrependam-se, foi a pregação de João Batista e de Jesus Cristo. Arrependam-se dos seus pecados e creiam no evangelho (NTLH) Marcos 1.15; Depois foi a pregação dos Apóstolos: Pedro respondeu: "Arrependam-se, e cada um de vocês seja batizado em nome de Jesus Cristo para perdão dos seus pecados, e receberão o dom do Espírito Santo". Atos 2.38; finalmente, tornou-se doutrina na igreja: Ou será que você despreza as riquezas da sua bondade, tolerância e paciência, não reconhecendo que a bondade de Deus o leva ao arrependimento? Romanos 2.4
A mesma mensagem é relevante para os nossos dias. Todos nós temos que arrepender-nos continuamente diante de Deus.
A Palavra "Arrepender" na língua original do Novo Testamento é "Metanoia" que deve ser traduzida como: Pensar bem, aplicar a mente, considerar com a mente. O Dicionário Português, define como: Ato de arrepender-se; pesar sincero de algum ato ou omissão. Mudar de intenção ou ideia.
Para ter um relacionamento correto com Deus precisamos de arrependimento. Mas a pergunta que surge é: arrepender-me do que?

1. Do Pecado.
O arrependimento sempre precede a confissão. Não podemos estar brincando com o pecado. Quando ficamos conscientes da seriedade que a Bíblia encara as nossas

sábado, 5 de novembro de 2016

DIA 14 - PRIMEIRA CONDIÇÃO: HUMILHAÇÃO - 40 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO




SEMANA III
AS CONDIÇÕES PARA O AVIVAMENTO

Quem faz o avivamento espiritual é Deus. Nenhuma pessoa ou organização pode produzir um avivamento.
A única coisa que podemos fazer é orar e pedir a Deus que em sua graça e misericórdia envie seu poder e traga cura para nossa terra.
Além de pedir a Deus, devemos criar as condições bíblicas favoráveis para que Deus responda e atue em nossas vidas, igrejas e sociedade.
Nesta semana vamos ver algumas dessas condições, que Deus coloca diante de nós. Em II Crônicas 7.14, Ele mostra algumas delas: Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar, buscar a minha face e se afastar dos seus maus caminhos, dos céus o ouvirei, perdoarei o seu pecado e curarei a sua terra.
Deus deixa claro que se nos alinharmos com Ele e à sua vontade, sem dúvida obteremos as bênçãos que lhe pedirmos.
Na Bíblia sempre encontraremos algumas condições colocadas por Deus, mas isto nunca poderá ser uma fonte de orgulho, pensando que nós é que fizemos o avivamento.
Quem opera é Deus, em sua sabedoria e soberania, e o faz quando, onde e como Ele quer. Nosso papel é simplesmente seguir as condições determinadas por Ele.

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

DIA 13 - DEUS QUER UM AVIVAMENTO ESPIRITUAL - 40 DIAS DE JEJUM E ORAÇÃO


DIA 13 - DEUS QUER UM AVIVAMENTO ESPIRITUAL

24 Então virá o fim, quando ele entregar o Reino a Deus, o Pai, depois de ter destruído todo domínio, autoridade e poder.
25 Pois é necessário que ele reine até que todos os seus inimigos sejam postos debaixo de seus pés.
26 O último inimigo a ser destruído é a morte.
27 Porque ele "tudo sujeitou debaixo de seus pés". Ora, quando se diz "tudo" lhe foi sujeito, fica claro que isso não inclui o próprio Deus, que tudo submeteu a Cristo.
28 Quando, porém, tudo lhe estiver sujeito, então o próprio Filho se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, a fim de que Deus seja tudo em todos. 
I Coríntios 15.24-28

Maridos, ame cada um a sua mulher, assim como Cristo amou a a igreja e entregou-se por ela para santificá-la, tendo-a purificado pelo lavar da água mediante a palavra, e para apresentá-la a si mesmo como igreja gloriosa, sem mancha nem ruga ou coisa semelhante, mas santa e inculpável. 
Efésios 5.25-27

Deus é soberano e tem tudo sob seu controle. A Bíblia afirma que em Cristo tudo se subsiste, o que significa que todo o universo está apoiado e funcionando em Jesus Cristo. Dentro deste domínio de Deus há um plano escatológico ou seja Deus criou tudo com um propósito e está dirigindo tudo para este fim.
Deus não revelou todos os detalhes do seu plano, apenas algumas facetas para que nós, que o seguimos, vivamos pela fé.
Dentre as revelações de Deus temos algumas referentes ao final dos tempos. O Texto acima afirma que virá o fim, quando Cristo entregar o Reino a Deus, o Pai. Notem bem que Cristo está construindo um Reino, e este propósito nunca poderá ser abalado ou obstruído pelo império do mal, ao contrário, vidas estão sendo resgatadas deste império e transportadas para o Reino de Deus.
Portanto quanto mais a igreja for efetiva na obra missionária, mais vidas serão libertas do domínio das trevas e o Reino estará sendo completado. O avivamento espiritual fortalecerá a igreja deste propósito divino.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...